Plano de gestão escolar: como fazer um que traga resultados?

Tempo de Leitura: 4 minutos

Seu plano de gestão escolar está desatualizado ou não está ajudando sua instituição a alcançar os resultados esperados? Esse é um documento estratégico para nortear a performance gerencial do seu negócio. Ele ajuda a organizar o planejamento e a acompanhar as ações necessárias para sua escola ser bem-sucedida e conquistar suas metas.

Já um plano inadequado ou malfeito pode contribuir para o surgimento ou agravamento de problemas administrativos a curto ou longo prazo. Sendo assim, é fundamental elaborar um plano de gestão escolar que traga resultados! E é sobre as melhores práticas para isso que falaremos a seguir. Confira!

7 dicas para um plano de gestão escolar nota 10

Além de calendário de aulas, projetos pedagógicos, cronograma de eventos e outros dados mais operacionais, é importante que o plano de gestão escolar:

1. Preveja as formações necessárias para sua equipe pedagógica

Suas estratégias só poderão ser viabilizadas por meio das pessoas. Sua equipe estará no dia a dia atuando para colocar em prática tudo aquilo que você projetou. No entanto, para isso, ela precisa estar preparada e motivada!

Portanto, é importante incluir em seu plano de gestão escolar ações de treinamentos ao longo do período. Recomendamos que esses cursos não sejam somente técnicos, como também comportamentais, para ajudar a equipe a prestar um bom atendimento ao aluno, lidar adequadamente com dúvidas ou críticas e contribuir criativamente para o sucesso do polo educacional.

2. Faça uma análise apurada de seu negócio

Para você conseguir chegar onde quer, é preciso perceber onde você está no momento. Por isso, antes de traçar metas, crie uma visão 360º da sua instituição, levando em conta fatores internos e externos que impactem em seus resultados.

Aqui é importante, por exemplo, fazer um estudo sobre o setor da educação, as perspectivas de crescimento de seu mercado específico, quais tipos de habilidades estão sendo mais demandadas para o desenvolvimento de carreiras de seu público de interesse, qual é a posição atual de sua escola no mercado, etc.

Estar munido de informações completas para tomar suas decisões ajudará a evitar erros e a enxergar oportunidades que farão seu polo educacional crescer.

3. Inclua o planejamento financeiro da instituição

Um bom plano de gestão escolar também conta com dados e projeções financeiras. É a partir disso que você conhecerá seu fluxo de caixa atual e poderá fazer a projeção do fluxo futuro com mais precisão.

Além disso, somente a partir de dados você saberá que tipo de gasto pode ser reduzido, se conseguirá gerir seu capital de giro e poderá analisar a liquidez do negócio, além de descobrir qual é seu capital para reinvestir na expansão do polo. Sobre esse último aspecto, lembre-se de que é importante projetar ações de melhoria e modernização para sua escola, para gerar diferenciais e manter sua competitividade.

4. Desenvolva estratégias para captar e aumentar sua base de alunos

Para ter bons resultados, é fundamental manter um fluxo constante de novos alunos e de novas matrículas. Por esse motivo, ações de captação e retenção de clientes devem ser previstas em seu plano de modo recorrente. E, para isso, deve-se projetar não somente ações de marketing, como também de novos serviços em seu polo. Aqui, é importante avaliar formas de diversificar os cursos oferecidos, levando em conta as carências de sua região e as demandas em alta no mercado.

Além disso, investir em modelos lucrativos e que agregam valor, como uma solução educacional diferenciada, é uma ação altamente estratégica para fazer seu negócio crescer. Portanto, estude e valide esse tipo de iniciativa em seu plano de gestão.

5. Certifique-se de alinhar aspectos pedagógicos, financeiros e administrativos

Para seu plano de gestão escolar ser assertivo, lembre-se de que ele deve ser baseado em dados (não em "achismos"). E tudo deve estar muito bem organizado ali. Isso quer dizer que se você inclui entre as ações para captação de alunos a modernização de instalações, por exemplo, no plano financeiro deve estar claro de onde sairá a verba para essa ação e, na parte pedagógica, como isso irá melhorar a experiência de aprendizagem de seus alunos.

6. Registre as metodologias de ensino adotadas em seu polo

Em seu plano de gestão escolar, também devem ser incluídas as metodologias de ensino que serão trabalhadas com os estudantes. Hoje, as metodologias ativas, por exemplo, estão em alta, apresentando resultados comprovados por ajudarem a colocar o estudante como protagonista de seu aprendizado, fazerem uso de novas tecnologias e estimularem o senso de responsabilidade e autonomia no aprendizado.

Optar por metodologias de resultados já reconhecidas, testadas e aprovadas no mercado é importante para prestar um serviço de qualidade em seu polo educacional.

7. Estabeleça metas e objetivos em seu plano de gestão escolar

Você só pode melhorar o que é conhecido e mensurado. Por isso, é crucial estabelecer metas e objetivos em seu plano de gestão escolar. Esses devem ser SMART: S (specific; específico, em inglês), M (mensuráveis), A (atingíveis), R (relevantes) e T (temporais). Também deve-se atribuir para cada meta o responsável por seu acompanhamento.

Dica extra: Utilize o ciclo PDCA para manter seu plano de gestão escolar otimizado e garantir resultados

Um plano de sucesso não é "escrito em pedra"; ele é flexível e atualizável. Assim, conforme variáveis vão mudando, você pode - e deve - atualizar seu plano para que ele permaneça relevante!

Por isso, aplicar o ciclo PDCA pode ser um fator-chave para seu sucesso. Esse método voltado à melhoria contínua é formado por quatro estágios, sendo: Plan (Planejar), Do (Executar), Control (Controlar) e Act (Agir). Com ele, todas suas ações serão feitas, acompanhadas e poderão ser aperfeiçoadas mais ágil e assertivamente.

O que você achou dessas dicas para seu plano de gestão escolar? Para saber mais sobre esse assunto, siga acompanhando nosso blog. Até a próxima!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS