Retenção escolar e lifelong learning: entenda a relação

Tempo de Leitura: 3 minutos

Uma questão que preocupa continuamente as instituições educacionais é a retenção escolar. A evasão representa prejuízos tanto para o aluno quanto para o polo educacional, que fez investimentos para captar estudantes e fornecer instalações e metodologias adequadas para seu aprendizado.

Além disso, ela torna o fluxo de caixa mais imprevisível e, portanto, prejudica o planejamento financeiro e de novos investimentos do polo educacional. 

Portanto, a retenção escolar é um indicador que demonstra tanto o sucesso do aluno quanto da escola. E um dos caminhos que podem ser trilhados para ajudar a elevar os percentuais de retenção é o chamado conceito lifelong learning.

Neste artigo, descubra mais sobre o que é esse conceito e compreenda como ele pode ser utilizado em suas estratégias de retenção escolar. Acompanhe a seguir!

O que é lifelong learning? Qual a importância desse conceito?

Basicamente, se refere ao aprendizado ao logo da vida. De uns anos para cá, passou-se a compreender que a aprendizagem deve ser um processo contínuo e automatizado. Ela não está limitada a uma "idade escolar" ou a um ambiente formal e convencional de ensino.

Ela pode ocorrer a qualquer hora e lugar. E quem tem esse gosto por sempre aprender algo novo passa, então, a ser chamado de lifelong learner - um perfil cada vez mais valorizado no mercado de trabalho.

Um dos principais objetivos da aprendizagem ao longo da vida é reforçar e melhorar a qualidade de vida das pessoas, permitindo-as levar o seu próprio potencial ao nível máximo.

Entretanto, é bom saber que o lifelong learning não diz respeito apenas à carreira - ele se relaciona a qualquer aspecto da vida, podendo ser aplicado a hobbies e interesses pessoais, por exemplo.

Esse é um conceito que surgiu na década de 1970. No entanto, o avanço da tecnologia, e particularmente, o surgimento da Inteligência Artificial (IA), fez com que ele ganhasse ainda mais relevância mundialmente.

O Fórum Econômico Mundial, no relatório Future of Jobs 2018, afirmou que as máquinas podem deslocar 75 milhões de empregos em todo o mundo até 2022, enquanto 133 milhões de novas funções podem surgir da nova divisão de trabalho entre humanos e computadores.

Projeções como essas demonstram a importância de se buscar sempre novos conhecimentos e habilidades, caso contrário, assim como tecnologias, podemos nos tornar profissionais obsoletos.

E esse pode ser um poderoso argumento para a retenção escolar em polos que ofereçam um portfólio atualizado e diversificado de cursos para aquisição de habilidades fundamentais para o século 21.

O que difere um polo educacional alinhado ao lifelong learning?

Para o polo que quer se adequar ao lifelong learning e elevar sua taxa de retenção escolar, primeiramente, é importante organizar processos, metodologias e diversificar o portfólio de cursos de tal forma que os alunos tenham a oportunidade de manterem-se engajados com o seu aprendizado de forma contínua.

Cursos de idiomas, por exemplo, são boas alternativas para isso, especialmente tendo em vista a demanda crescente do domínio de outras línguas estrangeiras trazida por um mundo cada vez mais interconectado.

Além disso, é importante incentivar o protagonismo do aluno diante de seu próprio processo de desenvolvimento e aprendizado. Isso pode ser feito com ênfase na aprendizagem autodirigida, prática, contextualizada ao universo do aluno, interativa e instigante. 

Tudo isso ajudará também a desenvolver a habilidade de "aprender a aprender", base essencial para o lifelong learning.

Assim, o centro educacional que aplica o lifelong learning, por princípio, se mantém modernizado, atualizado e em constante aperfeiçoamento - assim como seus alunos. E isso não apenas facilita trabalhar a retenção escolar como também a captação de novos alunos, proporcionando um modelo de negócio rentável e escalável.

Como o lifelong learning pode se relacionar com a retenção escolar?

Aprender no século 21 será uma exigência contínua. Novas tecnologias, métodos de trabalho e novidades surgem a uma velocidade cada vez mais elevada. E isso é algo disruptivo, que muda nossas rotinas, estilo de vida, forma de trabalhar e, também, de estudar.

Nesse contexto, todos já lidamos com uma necessidade frequente de aprender novos assuntos - desde operar um novo app no smartphone até lidar com colegas de trabalho robóticos. 

Diante disso, o lifelong learning já está e estará cada vez mais presente na vida das pessoas, em todos os lugares e em todas as fases de vida. E isso significa uma demanda de mercado consistente que pode ser atendida por seu polo educacional.

Com isso, ao oferecer de forma atrativa, centralizada e contínua novas oportunidades para que o aluno se desenvolva e siga aprendendo, torna-se mais fácil manter a retenção escolar.

Antigamente, era comum fazer uma faculdade e permanecer anos no mesmo emprego. Hoje, a vida não é mais assim. E isso exige mudanças nas instituições de ensino.

Agora, o que se aprende no início de um curso de graduação rapidamente se torna desatualizado ou desalinhado às demandas do mercado de trabalho.

Por isso, há tanta procura por cursos livres, que são dinâmicos e flexíveis o suficiente para oferecer conhecimentos sempre atualizados e relevantes para os alunos. 

Em consonância, pesquisas indicam que os empregadores estão, mais do que nunca, procurando profissionais que continuamente aprendem e aprimoram suas habilidades, ficando esses à frente da curva na competição pelos melhores postos de trabalho.

Esse é um atrativo argumento para campanhas de retenção escolar - especialmente à luz da obsolescência de muitas profissões diante da automação e da inteligência artificial cada vez mais presentes nas empresas.

Assim, o lifelong learning oferece a oportunidade de elevar o nível de empregabilidade do aluno tendo, portanto, um grande potencial para colaborar para que o polo consiga atingir melhores índices de retenção escolar.

Ainda, esse conceito pode representar a chance de o aluno seguir uma nova paixão ou interesse pessoal, buscando seu autoaperfeiçoamento e o desenvolvimento de habilidades para aplicação em sua vida pessoal - um formato de oferta que pode ajudar a mantê-lo retido.

E então, o que você achou da relação entre retenção escolar e lifelong learning? Para descobrir mais sobre os benefícios que essa abordagem pode trazer a seu negócio, baixe o conteúdo exclusivo que preparamos em nosso e-book Lifelong learning: o conceito para alavancar seu polo educacional.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS